domingo, Maio 31, 2009

Notification of the Secretariat for the Environment and the Sea about environmental protection in the Azores

The Places of the region of Macaronesia (Azores, Madeira and Canary islands) were recognised as Sites of Conservation Importance (SCI) in December of 2001. These were the first sites in Europe to be officially designated as such under the EU Habitats Directive. From the time a Site has been recognised as an SCI, the Member-State must designate it as a Special Conservation Zone (SCZ), as soon as it has the means that are necessary for its protection or, when applicable, rehabilitation. In 2006, the Autonomous Region of the Azores published in the Jornal Oficial its Sectorial Plan for the 2000 Natura Network. This legal document summarises the measures of environmental protection and conservation applicable to SCI sites in the Azores that resulted from a study conducted over the past several years and which culminated in a policy proposal submitted by two departments of the University of the Azores.
Even though the criterion for the transformation of SCI sites into SCZ sites has been met, the Autonomous Region of the Azores shall only advance with their official designation only when the the Land-Management Plans of the diverse Natural Parks of the Azores is published. This approach results from the application of the highest standards of environmental protection that the Region has adopted and pursued in its classified zones. In this regard, the Azores is a the forefront of European Environmental Conservation.
The posture of the Autonomous Region of the Azores in this domain has been exemplary. Besides belonging to the first group that presented sites to be classified in accordance with the Habitats Directive (Macaronésia) , the Azores were the first European Region to propose the classification of an area outside of the Territorial Sea (D. João de Castro) and also the first to present sites located in the deep sea. Indeed, it was under the initiative of the Autonomous Region that Portugal presented, to the EU Commission, a SCI application for the two deep sea hydrothermal springs of Menez Gwen and Lucky Strike on the 15th October, 2008.
However, it should be noted that the meritorious posture of the Azores in this domain extends beyond its adherence to the 2000 Natura Network. Under the auspices of the Oslo-Paris Convention (OSPAR), which identified a network of maritime areas of environmental importance, the Autonomous Region of the Azores proposed the classification of seven sites, one of which, the Rainbow site, is located outside the Exclusive Economic Zone. At the present time, the Azores awaits the recognition of a zone known as Sedlo, a deep sea ridge. In addition to the aforementioned, there are two areas in the Azores that are classified as Biosphere Reserves, the islands of Corvo and Graciosa. A third area is about to be classified, Flores island. Comparatively speaking, it should be noted that in the rest of the country there is only one area with enjoys such a statute. In the Azores there are 12 areas that were classified under the auspices of the Ramsar Convention. The Government of the Azores is also preparing an application for the classification of a Geopark. If accepted, this application will mean the recognition and classification of more than a hundred Geo-Sites.
It is also for these reasons that the Region was considered, by the National Geographic Traveller, the second best archipelago in the world in terms of sustainable development and the island of Pico one of the best islands to live in the world, by Revista Islands.
(in GACS)

Etiquetas: , , ,

Produção de energia com novas regras

A legislação regional que regulamenta o sector energético vai ser revista com o objectivo de estimular a produção por parte das empresas e particulares.O director regional da Energia, José Cabral Vieira, disse ontem, em Angra do Heroísmo, que as propostas de diploma que alteram as condições de produção de energia nos Açores estão já elaboradas e deverão ser enviadas, em breve, à Assembleia Legislativa. Cabral Vieira referiu as alterações estão inseridas nos grandes princípios da política do sector do Governo Regional que apontam para uma maior aposta nas energias renováveis e a adopção de medidas para uma maior eficiência energética. Falando durante a assinatura de um protocolo celebrado entre o Governo Regional e a Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo para a realização de um curso de formação de técnicos de certificação energética de edifícios, Cabral Vieira disse vão ser dadas “melhores condições” para que as empresas e particulares possam investir na produção de energias renováveis para consumo próprio ou para venda à rede pública.No que se refere ao Proenergia, Cabral Vieira reconheceu que os apoios previstos na legislação em vigor não são suficientes para incentivar os particulares a investirem na produção de energia. “Temos que apostar na micro-geração de energia nos Açores por isso vão ser alteradas algumas das regras previstas no Proenergia”, referiu.As pequenas empresas vão poder a fazer investimentos na micro-geração de energia a partir dos mil euros, quando o Proenergia estabelece como valor mínimo os 15 mil enquanto que os privados vão receber 25 por cento a fundo perdido dos investimentos até quatro mil euros. Por outro lado, os privados vão poder vender 90 por cento da sua produção energética quando agora estão limitados a 25 por cento.
APOSTA NA ENERGIA
Segundo o director regional da Energia, é necessário que a Universidade dos Açores assuma “um papel mais relevante” da produção de conhecimento da área das energias renováveis. Nesse âmbito, anunciou que o Governo Regional vai criar cinco bolsas de estudo para doutoramentos na área das energias renováveis e que serão contratados quatro académicos da mesma área para trabalharem nos Açores.Cabral Vieira destacou ainda o facto de estar já em curso o programa “Green Islands” cuja orientação está a cargo do MIT Portugal.

(In Diário Insular)

Etiquetas: , , ,

Aptidão agropecuária reduzida até 2070

Nas comemorações do Dia Mundial da Energia, Tomaz Dentinho, Brito de Azevedo e João Luís Gaspar trocaram ideias sobre alterações climáticas na Região.
As alterações do clima poderão implicar uma mudança de sector de subsistência, na economia da ilha Terceira. De acordo com Tomaz Dentinho, em 2070 a área de solo com apetência para a agro-pecuária será muito menor do que a actual, o que implica que os terceirenses optem por outras fontes de rendimento.As conclusões do economista são baseadas num modelo de interacção espacial, que utiliza o solo para simular o impacto das alterações climáticas na economia da ilha Terceira. Os resultados foram apresentados, ontem, no auditório da Casa das Tias, na Praia da Vitória. A conferência do professor da Universidade dos Açores foi integrada num debate sobre as “Alterações Climáticas nos Açores”, promovido pela autarquia para assinalar o Dia Mundial da Energia. O evento contou ainda com a participação do Director Regional do Ordenamento do Território e Recursos Hídricos, José Luís Gaspar, e do professor Eduardo Brito de Azevedo. Em colaboração com investigadores de outras áreas, da Universidade dos Açores, nomeadamente de Eduardo Brito de Azedo, especialista em climatologia, Tomaz Dentinho prevê que a população da ilha Terceira seja reduzida para cerca de 45 mil pessoas, em 2070. Na base destes números estão previsões climáticas, justificadas em grande parte pelos elevados valores das emissões de dióxido de carbono. Segundo Eduardo Brito de Azevedo, tem-se registado um aumento de temperaturas e uma diminuição da precipitação no verão. Cruzando dados sobre temperatura, precipitação, declive e capacidade de solo, entre outros, Tomaz Dentinho estima que área de aptidão urbana aumente consideravelmente até 2070. Contrariamente, a zona de com aptidão agro-pecuária restringe-se bastante, assim como a de aptidão hortícola que passa a ocupar uma franja mais pequena. Prevendo-se que o turismo e a exportação se mantenham iguais, a população terá de optar por outras fontes de rendimento ou de recorrer à emigração, como geralmente acontece. Por sua vez, o Director Regional do Ordenamento do Território e Recursos Hídrico alertou para o facto da redução de emissões de dióxido de carbono, nos Açores, não apresentar soluções a curto prazo, uma vez que a principal fonte de emissão de dióxido de carbono é o sector dos transportes.Para além de não existir até à data uma solução eficiente a curto prazo, para a redução da circulação de transportes rodoviários, prevê-se ainda um aumento de outros tipos de transporte, tendo em conta as necessidades específicas de um arquipélago e o facto do sector de turismo continuar a ser uma aposta forte no desenvolvimento económico da Região.
Ainda assim, João Luís Gaspar lembrou que os Açores representam apenas 3% das emissões de dióxido de carbono, emitas por Portugal. O director regional salientou ainda que entre 1990 e 2004, a Região triplicou o PIB, no entanto não triplicou a emissão de dióxido de carbono. No início da sessão, Roberto Monteiro salientou que esta iniciativa foi a introdução para a I Feira de Energias Renováveis da Praia da Vitória, que se prevê que se realize em Junho. De acordo com o presidente da Câmara Municipal, a actividade terá como objectivo a promoção de uma “mostra de soluções preconizadas pelos comerciantes locais”, assim como a “continuação do debate” iniciado no Dia Mundial da Energia. Segundo Roberto Monteiro trata-se de uma forma de promover o “diálogo em torno de sugestões relacionadas com a sustentabilidade”. O autarca apelou a um “equilíbrio entre a componente ambiental e a componente economicista”. Roberto Monteiro salientou como exemplo da preocupação do município com as questões ambientais, o investimento na recuperação do Paúl.
Plano concluído em 2010
À margem do encontro, o director regional do Ordenamento do Território e Recursos Hídricos, revelou à Lusa que o Plano de Gestão dos Recursos Hídricos dos Açores deverá estar concluído durante o próximo ano. De acordo com João Luís Gaspar, trata-se de “um conjunto de instrumentos que resultam dos planos de gestão dos recursos hídricos individuais de cada uma das ilhas, que vão ser elaborados a partir de agora em simultâneo para permitir coerência e lógica transversal no documento final”.O director regional sublinhou que a Região “vai passar a trabalhar com base num documento que realça as especificidades dos Açores”. O objectivo deste plano, segundo João Luís Gaspar, “é criar uma série de instrumentos que possam, de certa maneira, contribuir para a organização do território numa perspectiva regional e municipal”.
(in Diário Insular)

Etiquetas: , , , , ,

Energias alternativas para combater as alterações climáticas globais

Foi proferida, por Félix Rodrigues, docente do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores, uma palestra sobre a temática das alterações climáticas globais, na Ecoescola Básica e Jardim de Infância do Areeiro, nas Fontinhas, concelho da Praia da Vitória.
A palestra organizada pela Educadora Cidália Pacheco, teve lugar no dia 28 de Maio de 2009.
O docente universitário iniciou a palestra dando exemplos de fenómenos poluentes, considerados na poluição do ar, e de outros, que não podiam ser considerados poluição atmosférica. Os alunos facilmente concluíram que se uma nuvem negra de fumo pairasse sobre uma cidade, a temperatura do ar à superfície seria afectada: tanto poderia aumentar como diminuir relativamente à situação em que esta não existe. Tal conclusão serviu de mote para explicar o aquecimento da Terra e as consequências que daí advém.
Os alunos, com idades compreendidas entre os três e dez anos, perspectivaram alguns dos impactos resultantes do aquecimento médio do planeta: degelo das calotes polares (derretimento do gelo), subida do mar (aumento do nível médio da água do mar), menos vegetação (desertificação), mais calor e fogos (aumento da frequência de incêndios), mais micróbios trazidos pelas moscas (maior probabilidade de introdução de doenças irradicadas no ocidente).

É pelo consumo racional de energia e pela utilização de fontes renováveis que é possível diminuir as emissões de gases com efeito de estufa. Félix Rodrigues, levou os alunos a identificar vários fontes renováveis de energia, como a eólica e a solar e referiu também a energia geotérmica, com elevado potencial de exploração na Região Açores.
Depois de explicar de forma sucinta como se produz energia eléctrica, apresentou, numa pequena animação, um processo simples de produção de energia eléctrica a partir da "energia da terra".
Aproveitou para esclarecer que as emissões resultantes da exploração da energia geotérmica são essencialmente vapor de água e que o "fumo" que a central geotérmica produz nada tem a ver com o que sai das fábricas e veículos automóveis.

Etiquetas: , , ,

sábado, Maio 30, 2009

CURSO DE VERÃO da Universidade dos Açores (Campus de Angra do Heroísmo) Julho/2009

Dia 27, das 10-12 h
Biodiversidade Animal, pelo Prof. Doutor Paulo Borges.
14-16 h Caracterização da agro-pecuária Açoriana, pelo Prof. Doutor Alfredo Borba.

Dia 28, das 10-12 h
O clima e a agricultura, pelo Prof. Doutor Eduardo Brito de Azevedo.
14-16 h A história da cloneta, pelo Prof. Doutor Joaquim Moreira da Silva.

Dia 29 das 10-12 h
A agro-pecuária na economia Açoriana, pela Prof.ª Doutora Emiliana Silva.
14-16 h Agricultura biológica, pelo Prof. Doutor João Batista.

Dia 30, das 10-12 h
Os produtos tradicionais Açorianos, pela Profª. Doutora Maria da Graça Silveira.
14-16 h Bioversidade Vegetal nos Açores pela Prof.ª Rosalina Gabriel.

Dia 31, das 10-12h
A vida nas profundezas da Terceira, pelo Prof. Doutor Félix Rodrigues.
14-16h Hidrogeologia dos Açores, pelo Prof. Doutor Cota Rodrigues.

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Investigadores açorianos precisam de mais atenção

O candidato açoriano na lista do Bloco de Esquerda ao Parlamento Europeu reivindica um maior apoio à investigação que se faz no arquipélago, confirmou DI. Paulo Sousa Mendes manifestou este argumento ontem de manhã, no final de uma visita ao Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia (LAMTec), instalado na Praia da Vitória. O candidato bloquista relevou o papel deste centro no estudo do mar e das energias, nomeadamente do hidrogénio, e apelou a uma maior consciência das instâncias comunitárias para as dificuldades financeiras que os investigadores sofrem.No seu manifesto eleitoral regional, Paulo Sousa Mendes reivindica a defesa do mar insular como recurso único da Região. “Ao retirar a gestão da ZEE a quem sempre a geriu e a quem sempre teve a preocupação de desenvolvê-la de forma sustentável, a União Europeia está a criar uma dinâmica perversa, que anula qualquer perspectiva de subsidiariedade e de proporcionalidade, única garantia de que as decisões sejam tomadas a um nível mais próximo dos cidadãos e das cidadãs. Dada a necessidade de se preservar um recurso tão valioso como é o nosso Mar, a negociação com a União Europeia - com vista à co-gestão da nossa ZEE -, não será tida como um comportamento eurocéptico, mas antes como uma preocupação legítima e europeísta, por parte de um Estado-membro que considera a sustentabilidade do Mar responsabilidade de todos”, defende.No documento, o bloquista reivindica também de Bruxelas o apoio concreto aos pequenos agricultores.

(in Diário Insular)

Etiquetas: , ,

Majoração dos apoios à Universidade dos Açores

O candidato açoriano na lista do PS ao Parlamento Europeu (PE) defende a majoração dos apoios atribuídos aos projectos de investigação da Universidade dos Açores no âmbito do VII Quadro Comunitário de Apoio à Ciência e Investigação.Luís Paulo Alves, que falava aos jornalistas ontem à tarde, no final de uma visita ao Observatório do Ambiente, em Angra do Heroísmo, argumenta que essa majoração permitirá à Academia combater as dificuldades financeiras que atravessa.“Esta proposta de majoração tem que ser feita. A Universidade dos Açores tem vindo a afirmar-se na investigação das alterações climáticas, da climatologia e no estudo dos oceanos e, como tal, é uma oportunidade que não pode ser descurada”, adianta. O socialista adianta que o novo quadro comunitário de apoios à Ciência e Investigação é muito generoso e deve ser aproveitado ao máximo.
Atenção transatlântica
Além disso, Luís Paulo Alves - que conversou com os professores Alfredo Borba, pró-reitor da Universidade dos Açores, e com Eduardo Brito de Azevedo, do CLIMAAT e especialista em climatologia, ambos ligados ao Observatório do Ambiente - alega que há interesse de várias universidades norte-americanas que já manifestaram interesse em instalar nos Açores um centro transatlântico de estudo das alterações climáticas.“Isto prova que a nossa posição geográfica é uma mais-valia em termos científico. E, assim, é fundamental apoiarmos esta vertente”, alega Luís Paulo Alves, que sublinha que a Academia insular tem vindo a consolidar-se como um centro de excelência no estudo das alterações do clima e do oceano (neste caso, através do Departamento de Oceanografia e Pescas, localizado na cidade da Horta, Faial). Na quarta-feira, o socialista, no Pico, defendeu uma maior atenção da Política Marítima Europeia às oportunidades de desenvolvimento que o Mar proporciona aos Açores e à fronteira marítima e Atlântica que o arquipélago confere à União Europeia. “Os Açores são a primeira linha de combate ao tráfico de droga por via marítima. Isso trás também uma responsabilidade que terá de ser assumida pela União Europeia”, argumenta Luís Paulo Alves, que, ontem, visitou também o porto de São Mateus e jantou com militantes terceirenses.

(in Diário Insular)

Etiquetas: , , , , , ,

Apoiar a capacidade e a vocação empreendedora

Este é o objectivo do protocolo assinado entre a Universidade dos Açores e a Associação de Mulheres Empresárias dos Açores.
Foi assinado esta semana, um protocolo entre a Universidade dos Açores e a Associação de Mulheres Empresárias dos Açores (MEA). O objectivo do protocolo é estimular e apoiar a capacidade e a vocação empreendedora. O protocolo foi assinado no salão nobre da Reitoria da Universidade dos Açores. De acordo com o documento, nos dois próximos anos, o intuito será estabelecer princípios de cooperação mútua das duas entidades, com o objectivo de identificar, apoiar e desenvolver projectos de criação de micro-empresas, empresas e auto-emprego, particularmente no mercado empresarial feminino.

Etiquetas: , , ,

sexta-feira, Maio 29, 2009

A caminho da Europa!

O CDS-PP escolheu a ilha das Flores, a parte mais ocidental da Europa, para iniciar a sua caminhada até Bruxelas. Em conferência de imprensa na Ponta da Fajã Grande, Emiliana Silva referiu “a Europa começa aqui na Fajã Grande das Flores, nos Açores e não no Cabo da Roca. Queremos com esta visita simbolizar que a ilha das Flores está no mapa Europeu”.
Emiliana Silva frisou que “queremos ainda, que as Flores e os Açores tenham quem os represente efectivamente no Parlamento Europeu”.
Na longa viagem ao coração da Europa a candidata do CDS-PP conta com a ajuda de todos os açorianos, “pois os açorianos sabem que podem contar comigo”.
A candidata do CDS-PP elegeu como temas principais da sua campanha a coesão territorial, os transportes, a diversidade agrícola e ambiental, e ainda as comunicações “que são tão necessárias a esta ilha e aos Açores”.
A professora universitária sendo eleita pretende “defender veementemente os açorianos e os produtos tradicionais açorianos (leite, queijo, carne, pescado, chá, ananás, mel, maracujá, vinhos, entre tantos outros)”.
Fazendo um balanço dos dias da pré-campanha eleitoral, Emiliana Silva referiu a visita ao Pólo da Terra-chã da Universidade dos Açores, “porque o CDS-PP atribui alta importância ao ensino e investigação de excelência da Universidade e que é reconhecida não só a nível Europeu mas mundial”, exemplificando que “há excelência nas áreas de nutrição, reprodução animal, ambiente - alterações climáticas, biotecnologia, biodiversidade entre outras”. Visitou ainda a Escola Profissional da Praia da Vitória, “um exemplo regional, nacional e europeu a ser seguido, porque o CDS-PP valoriza o ensino aplicado à sociedade como fundamental para o seu desenvolvimento. Constatámos que esta escola tira partido dos projectos europeus, que permitem a troca de experiências e mobilidade dos alunos”.
Emiliana Silva compromete-se a “defender na Europa, a criação de uma rede de ensino e investigação de Universidades de Periferia da União Europeia, suportados com fundos europeus”.
Ainda na pré-campanha a candidata do CDS-PP visitou uma fábrica de chá, “mostra que o CDS PP apoia também as pequenas empresas e valoriza o que é nosso, defendendo o que é genuíno e único no mundo. Defenderemos a mais valia dos produtos açorianos, promovendo a valorização pela sua identidade. A valorização dos produtos açorianos começa em casa, e as Instituições Regionais e Nacionais têm por obrigação a promoção deste produtos”. Emiliana Silva lançou o desafio “Porque não servir chá Gorreana ou Porto Formoso, a bordo da SATA?”. Para a professora “a identidade dos produtos regionais, leva-nos à defesa da intergovernamentalidade dos países da Europa, contra o modelo federal, pois ao fazê-lo estamos a defender a Autonomia dos Açores, pela qual temos lutado tanto”, concluindo “queremos ser europeus, sem deixar de ser açorianos!”.

Declarações dia 26 de Maio de 2009.

O primeiro dia de campanha foi dedicado às energias renováveis. Em declarações à imprensa Emiliana Silva referiu “um dos pontos da agenda europeia, e nossa preocupação, são as alterações climáticas, dado que as regiões insulares são mais sensíveis a estas. Sabemos que as alterações climáticas são provocadas pelas emissões de dióxido de carbono e de metano, entre outras, e que contribuem para o aquecimento do Planeta”.
Para a candidata do CDS-PP “temos de mitigar os efeitos existentes na Europa e só podemos contribuir para uma Europa menos poluente, utilizando energias mais limpas, menos poluidoras. Temos que fazer os trabalhos de casa, temos de nos antecipar com medidas que defendam os Açores, como será o caso das emissões de metano, que nos Açores são originadas pelos bovinos”.
Para este efeito, Emiliana Silva defenderá, na Europa, o uso de energias renováveis (eólica, hídrica das marés, geotérmica, solar e também o uso de hidrogénio), “diminuindo não só as emissões de dióxido de carbono e consequente aquecimento do Planeta, mas também diminuindo a nossa dependência externa do petróleo”.
Emiliana Silva referiu que “sabemos, hoje, que é possível produzir electricidade apenas com energias renováveis. Há que explorar esta nova forma de produção energética e contribuir para um ambiente mais limpo, de modo a preservar a beleza, equilíbrio e biodiversidade natural da ilha das Flores e de todos os Açores”.
A candidata do CDS-PP concluiu dizendo “podemos e devemos utilizar a ilha das Flores (porque não o grupo Ocidental?), região ultra-periférica, como um exemplo para toda a Europa, ao optarmos e investirmos em energias renováveis (eólica e hídrica) e diminuirmos a nossa dependência energética do exterior, sobretudo do petróleo”.
(in RDP Açores)

Etiquetas: , , , , , , ,

Furos e nascentes “misturados” para aumentar qualidade

Arranca este Verão, na Praia da Vitória, um processo de “mistura” de águas, que pretende equilibrar os níveis de salinidade, bem como de fluoretos. De acordo com o administrador da empresa municipal Praia Ambiente, Cota Rodrigues, existem furos que apresentam níveis de salinidade elevada, pelo que a “solução, havendo outros tipos de água com pouco sal, é misturá-los, obtendo mais qualidade”. Na prática, a água captada em algumas nascentes da zona da Agualva vai ser transportada e misturada, nos reservatórios, com a água dos furos. Esta solução faz frente também ao problema de elevados níveis de fluoretos que se verificam na água da Agualva. “Conseguimos assim equilibrar os níveis de cloretos e de fluoretos”, conclui Cota Rodrigues. Recorde-se que esta mesma solução já tinha sido apresentada no “9º Encontro de Química dos Alimentos”, que decorreu, este mês, no pólo universitário do Pico da Urze, por Félix Rodrigues, num trabalho conjunto com Cota Rodrigues e Vanda Bettencourt. Foi proposta uma mistura de águas dos furos de captação e nascentes, melhorando a qualidade organoléptica, através da diminuição do teor de cloretos e obtendo-se um nível equilibrado de fluoretos. Concluiu-se também que água proveniente de furos no concelho da Praia da Vitória, que abastecem maioritariamente a zona urbana, pode provocar cáries, enquanto a das nascentes pode criar fluorose dentária (manchas nos dentes). A mistura destes dois tipos de água, um com níveis demasiado elevados de cloretos, e outro com presença excessiva de fluoretos, pode reduzir a incidência das doenças na população.

(in Diário Insular)

Etiquetas: , , , ,

Palestra sobre Intuição na Escola de Enfermagem


Paulo Matos, especialista em medicina oriental, profere, hoje, pelas 20h, no Auditório da Escola de Enfermagem de Angra do Heroísmo, uma palestra intitulada “Da Intuição à Intenção”.“Intuição como Variável Inata do Ser Humano e Animal”; “Factores Bloqueadores”; “Intenção como factor produtivo e determinante do sucesso” e “Estratégias de Gestão da Intuição e Intenção” são os tópicos a abordar.

(In Diário Insular)

Etiquetas: ,

Na Sardenha : Vasco Garcia fala do percurso da UA

Na qualidade de ex-Reitor da Universidade dos Açores e de Catedrático em Ecologia Aplicada, Vasco Garcia participou, entre os dias 15 e 16 de Maio, no Encontro de Jovens Empresários de Cagliari (Sardenha), organizado pela CONFINDUSTRIA - Associação Industrial Italiana (Sardenha Meridional), tendo apresentado uma comunicação intitulada "Economical Ecology: the Azorean case", onde descreveu a evolução dos estudos ecológicos nos Açores desde a fundação da UAç, com a criação, em 1976, do Laboratório de Ecologia Aplicada. Focando os casos em que reuniu dados sobre o valor económico de alguns desses estudos (whale-watching, priôlo, p.ex.), deu uma perspectiva do futuro dessas avaliações e do seu valor para uma cooperação entre diferentes entidades insulares (Universidades, Agências de Investimento, Associações Comerciais e Industriais, etc.). A iniciativa, que contou com participantes de vários países e regiões, incluindo Malta, Martinica e Baleares (Menorca), mereceu o maior destaque nos órgãos de comunicação social sardos, comprovando o seu sucesso. Os resultados do Encontro e da Mesa Redonda que se seguiu serão enviados à próxima reunião do G8 pelo seu Grupo Juventude (G8 Youth- Giovani Imprenditori). No âmbito do Convénio estabelecido no Programa Sócrates ERASMUS (2008-2009) entre a Universidade de Zaragoza (Espanha) e a Universidade dos Açores, decorrerá de 8 a 13 de Junho no campus de Ponta Delgada, um Curso aberto subordinado aos temas: “I - Métodos de identificação de minerais e rochas macroscopica e microscopicamente e II- Tectónica e Magmatismo. ". Os coordenadores do referido curso serão, respectivamente, Marceliano Lago San José (Departamento de Ciencias de la Tierra, da Universidade de Zaragoza) e Zilda França (Departamento de Geociências, da Universidade dos Açores).

(in Correio dos Açores)

Etiquetas: , ,

quinta-feira, Maio 28, 2009

Carlos César exorta as comunidades emigrantes a investirem na educação

O presidente do Governo dos Açores disse hoje ser "absolutamente fundamental que a nossa comunidade veja a educação como o mais importante investimento que pode fazer no futuro". Carlos César falava no decorrer de uma visita ao Rhode Island College - em cuja população estudantil se contam muitos descendentes de emigrantes açorianos - e acrescentou que a educação não apenas ajuda a encontrar empregos mais bem remunerados e a alcançar melhores carreiras profissionais, como, igualmente, protege as pessoas e as suas famílias em tempo de crise, tornando mais fácil enfrentar a instabilidade e o desemprego.
Valorizando o papel que, nesse sentido, tem também desempenhado o Institute for Portuguese and Lusophone World Studies - contribuindo para a promoção e preservação das tradições culturais açorianas - sublinhou, no entanto, que os valores culturais são dinâmicos e não devem constituir-se como obstáculo à integração.

Para Carlos César, o Governo Regional tem um claro entendimento da importância de modernizar as relações dos Açores com as comunidades emigrantes e deseja ser um parceiro activo das jovens gerações de açor-americanos na sua aproximação aos valores culturais dos seus antepassados, incluindo a língua e as tradições, e ajudando-as na descoberta das suas raízes.
Realçando que os Açores de hoje são muito diferentes do que os Açores dos antepassados dos jovens a quem se dirigia, o presidente do Governo traçou o quadro da actualidade económica e social de uma região plenamente integrada num mundo globalizado e afirmou ser importante que eles possam aperceber-se disso pessoalmente, estreitando ainda mais os laços que unem o estado onde vivem à terra de origem dos seus ancestrais.
Considerou, por isso, que, sendo decisiva a mobilidade dos jovens, o incremento de cursos de verão quem tem sido feito com a Universidade dos Açores pode ser levado ainda mais longe, a ponto de consagrar um curso que sirva os interesses e as necessidades de açorianos e açor-americanos.
Entretanto, desejou "aos alunos que brevemente visitarão os Açores, participando no Curso de Verão, o maior proveito em termos formativos e também pessoais da experiência que vão ter, e que se constituam, sempre que puderem, em embaixadores da nossa Região, da nossa cultura e das nossas ambições."

(in Contratempo.com)

Etiquetas: ,

Ensino profissional com 127 cursos nos Açores

A oferta de ensino profissional para 2009/2010 nos Açores abrange 127 cursos, em 64 áreas, com 2.540 lugares disponíveis. O anúncio foi feito, na Praia da Vitória, pela secretária regional do Trabalho e segurança Social, depois de visitar a exposição da oferta de cursos de ensino profissional e pós-secundário, integrada no Fórum das Profissões 2009/2010. Falando aos jornalistas, Ana Paula Marques salientou o empenhamento do Governo Regional dos Açores no processo de capacitação profissional dos jovens açorianos, através duma cada vez maior diversificação da oferta e do ajustamento dos cursos às reais necessidades das empresas. Nesse sentido, salientou o papel do Observatório do Emprego e da Formação profissional “no permanente ajuste da formação e do mercado de trabalho em função das solicitações previsíveis”. A secretária Regional anunciou, por outro lado, que o Governo açoriano já investiu, desde Outubro de 2008, 14,1 milhões de euros de fundos do Fundo Social Europeu no ensino profissional. Na exposição que Ana Paula Marques visitou, estão presentes as 18 escolas profissionais do arquipélago, secundárias de Terceira com cursos PROFIJ e a Universidade dos Açores.Várias dezenas de alunos da Escola Profissional da Praia da Vitória receberam segunda-feira à noite os seus diplomas de curso, num convívio em que esteve presente, em representação do Presidente do Governo, a directora regional da Educação e Formação. O evento fazia parte do programa do Fórum das Profissões, que decorreu até esta terça-feira, na Praia da Vitória, e que conta com o apoio do executivo regional. O Governo açoriano entende que a crescente oferta de opções de formação profissionalizante “motiva os alunos e gera novas oportunidades de inserção no mercado de trabalho, respondendo ao mesmo tempo às necessidades de mão-de-obra especializada das empresas”. O ensino profissional regista um crescimento acentuado nos últimos anos na Região, havendo já 18 escolas profissionais no arquipélago, cuja oferta formativa para o próximo ano lectivo ascende a 127 cursos, distribuídos por 64 áreas. “O Impacto da Formação Profissional na Economia Regional”, “Percursos Formativos de Dupla Certificação” e “Estratégias de Ajustamento entre a Oferta e a Procura” foram as três grandes áreas em debate no Fórum das Profissões.

(in Diário dos Açores)

Etiquetas: ,

Candidato da CDU na Terceira

No âmbito da sua visita à ilha Terceira, o candidato a eurodeputado dos Açores, Carlos Ribeiro, acompanhado de dirigentes da CDU/Terceira, fez várias visitas a associações, nomeadamente à associação ambientalista “Gê Questa”, ao Departamento de Ciências Agrárias, à associação das Mulheres dos Armadores e Pescadores da ilha Terceira, à Associação Agrícola, à União de Sindicatos de Angra. Reuniu ainda com a APTG - Administração dos Portos da Terceira e Graciosa. Pelo meio, estabeleceu contactos com as populações de Angra e da Praia, com a distribuição de documentos.
Entre muitas queixas dos vários interlocutores, são de registar o amento do desemprego no Arquipélago (mais de 5300 desempregados inscritos, um aumento de 24% em relação ao mesmo período do ano passado), bem como queixas em relação ao facto de muitas empresas, bem como a administração central e regional, não estarem, como deveriam, a pagar o salário mínimo regional (SMR), o que dificulta ainda mais a vida aos trabalhadores açorianos, já que o alto custo de vida nas ilhas, aliado ao facto dos trabalhadores açorianos ganharem menos do que os trabalhadores do continente, os coloca numa situação muito difícil. Relativamente à base das Lajes, é lamentável que processos disciplinares discricionários, levantados aos trabalhadores que apresentaram queixa pelo incumprimento no aumento dos salários, continuem sem conhecer um fim, já que se estendem desde 2002. Nesta matéria, é vergonhoso que o Governo Regional e o Governo da República, tão céleres a resolver o défice do sistema financeiro, pactuem com esta situação que envolve trabalhadores portugueses, que o mais que fizeram, foi exigir o que lhes era devido. No que toca à Universidade dos Açores, e ao pólo de Ciências Agrárias em particular, é lamentável a política de orçamento do Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior. De facto, os valores do orçamento disponibilizados pelo MCTES cobrem apenas 80% dos salários pagos, o que demonstra bem não só o sub-financiamento crónico do Ensino Superior protagonizado por este governo, como uma enorme falta de respeito pelos profissionais que trabalham numa Universidade dispersa por vários pólos, em 3 ilhas, o que leva a custos que outras universidades não têm.Da Associação Agrícola da Ilha Terceira, ouvimos as críticas em relação ao preço do leite pago ao produtor, que tem levado a que muitos pequenos agricultores, dos mais de 800 associados, tenham sentido dificuldades acrescidas, pois a sua receita recuou bastante. No entanto, os preços do leite à venda ao público não só não desceram, como em alguns casos subiram, o que é de todo incompreensível, a não ser pelo facto da unidade industrial que detém o monopólio nas ilhas Terceira e Graciosa quererem, a todo o custo, ver aumentados os seus lucros. Ainda neste âmbito, a AAIT fez referência ao facto da fiscalização ao abrigo do POSEIMA ser bastante demorada, o que leva a atrasos na atribuição de subsídios. No que à revisão do POSEIMA diz respeito, a camarada Ilda Figueiredo apresentou, há pouco tempo no Parlamento Europeu, um programa de resposta que seria mais rápida, utilizando para isso os valores dos anos transactos, para efectuar os pagamentos aos agricultores, sendo efectuadas quaisquer alterações no decurso do processo, se disso houvesse necessidade. A CDU/Terceira continuará a dar o seu contributo para o esclarecimento dos terceirenses, tendo para isso, várias actividades de campanha para as Europeias, nomeadamente distribuições de documentos, com vista a demonstrar às pessoas que vale a pena ir votar no dia 7 de Junho.

(in Canal de Notícias dos Açores)

Etiquetas: , , ,

Alterações Climáticas Globais - Impactos nas ilhas

De acordo com o IPCC, são os territórios insulares aqueles que são mais vulneráveis às alterações climáticas globais: pela escassez do território e pela vulnerabilidade dos recursos naturais.
As alterações climáticas podem promover grandes alterações nos procedimentos agrícolas, ocupação do território e conservação da biodiversidade.
As ilhas açorianas são especialmente vulneráveis às alterações climáticas, uma vez que dependem de recursos naturais particularmente sensíveis à mudança do clima, como a produção de pastagem e o abastecimento de águas às populações e à lavoura. É o afastamento geográfico das grandes superfícies continentais que as tornam extremamente sensíveis à falta de água para consumo humano. Assim, os impactos das alterações climáticas fazem-se sentir, não só sobre a quantidade e a qualidade das águas superficiais e subterrâneas, mas também incrementam o risco de ocorrência de situações extremas de inundações e secas.
A análise de séries históricas de observações climáticas em Angra do Heroísmo, não apresenta tendências claras do clima médio do Arquipélago ou da ilha, no sentido de um aquecimento progressivo ao longo do último século, mas todos os cenários apontam para que a nível do Atlântico a taxa de crescimento da temperatura aumente. Nesse contexto, prevêem-se modificações dos caudais de descarga dos aquíferos para as ribeiras e armazenamentos naturais de água subterrâneas menores do que na actualidade, relacionadas com uma redução da recarga pela precipitação. Nesse contexto, a capacidade das actuais infra-estruturas de captação e armazenamento de água satisfazerem as necessidades das populações poderá ficar substancialmente diminuída.
Foram estes alguns dos pontos abordados na palestra proferida pelo Professor Félix Rodrigues, do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores, no dia 25 de Maio de 2009, na Escola Básica Integrada dos Biscoitos, para alunos do 2º e 3º ciclos do Ensino Básico.
Para além das questões relacionadas com o ciclo hidrológico, também foram enfatizados os impactos da subida do nível médio da água do mar, pelo degelo das calotes polares.
Félix Rodrigues referiu que há medida que a temperatura média do planeta aumenta, o risco de ocorrência de pandemias também aumenta e também o risco de aparecimento de doenças já extintas no ocidente, como por exemplo a malária.

Etiquetas: , , ,

quarta-feira, Maio 27, 2009

Dia Mundial da Energia

De forma a comemorar o Dia Mundial da Energia, no dia 29 de Maio (Sexta-Feira) irá decorrer no Auditório da Casa das Tias (Praia da Vitória) uma conferência intitulada “Alterações Climáticas nos Açores”, tendo como convidados:


o Professor Doutor João Luís Gaspar – Director Regional do Ordenamento do Território e Recursos Hídricos;
o Professor Doutor Eduardo Brito de Azevedo – Docente do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores;
o Professor Doutor Tomaz Ponce Dentinho – Docente do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores;
o Professor Doutor José Cabral Vieira – Director Regional da Energia.
A sessão de abertura inicia-se às 09:30 e estará a cargo do Presidente da Câmara Municipal Dr. Roberto Monteiro.

Etiquetas: , , , ,

Webcam instalada na montanha do Pico

Uma webcam do projecto CLIMAAT foi instalada no cimo da montanha do Pico. Através do sítio da Internet http://www.climaat.angra.uac.pt/, é agora possível, dependendo das nuvens, observar, em tempo quase real, as condições do estado do tempo no local, assim como a vista sobre a vertente Noroeste da montanha, a vila da Madalena e o mar do Canal com o Faial ao fundo.

(in Diário Insular)

Etiquetas: ,

X SIMPOSIO DE ICTIOLOGÍA

O professor João Pedro Barriros, do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores participa em Medellín, na Colombia, no I Simposio Suramericano de Ictiólogos. Neste momento está em trabalho de campo na floresta tropical de altitude anexa a plantações de café.
O Professor irá proferir palestra, a 27 a 29 de Maio de 2009.

Etiquetas: , ,

À procura de outras terras

Nuno Santos - Investigador do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

A descoberta de outros mundos passou nos últimos anos de um sonho distante a uma realidade. Durante dezenas de anos, os astrofísicos prescutaram os céus à procura de sinais que nos indicassem a presença de planetas fora do sistema solar. No entanto, foi necessário esperar até meados da década de 90 (do século xx) para que as pesquisas dessem os primeiros resultados.
Formação de Planetas
Hoje é geralmente aceite que os planetas se formam como um subproduto da formação de uma estrela. Quando uma nuvem de gás e poeira se contrai dando origem a um "sol", as leis da física dizem-nos que em seu torno se deve formar um disco achatado.
Por um processo ainda não completamente desvendado, os grãos de poeira existentes no disco vão-se aglomerando, e dão origem a corpos de maiores dimensões. Nas regiões do disco mais afastadas da jovem estrela, a grande quantidade de gelos existentes permite que estes "planetesimais" cresçam em apenas algumas dezenas de milhões de anos. Quando um desses "núcleos" atinge uma massa suficiente (equivalente a cerca de 10 vezes a massa da terra), começa a atrair e juntar gás à sua volta, formando um planeta gigante como Júpiter. Por seu lado, nas regiões mais interiores do disco, mais próximas da jovem estrela e onde a elevada temperatura não permite a condensação de gelos, os grãos de poeira aí existentes darão mais tarde origem a planetas "pequenos", terrestres e rochosos, como a terra.
Como detectar um planeta?
Embora se saiba que o processo de formação planetária deva ser comum (é muito frequente encontrar discos em torno de estrelas jovens), a detecção de outros planetas não é simples. Quando vistos à distância de alguns anos-luz, os planetas não são mais do que tímidos pontos de luz ofuscados pela luz da estrela que orbitam. É extremamente difícil obter uma imagem de um planeta extra-solar; Júpiter, por exemplo, é cerca de mil milhões de vezes menos brilhante de que o sol. No entanto, sabemos através das leis da física que do mesmo modo que uma estrela atrai um planeta, o planeta também atrai a estrela. Ambos os corpos vão então rodar um em torno do outro, ou antes, em torno de um ponto denominado por "centro-demassa", uma espécie de ponto médio entre os dois objectos (mas mais perto da estrela, ou mesmo dentro desta, já que esta tem bastante mais massa que o planeta). Este facto permite tentar procurar planetas recorrendo a técnicas indirectas. Em particular, o movimento de uma estrela em torno do centro-de-massa do sistema estrela-planeta(s) traduz-se por uma variação periódica na velocidade da estrela: umas vezes esta está a afastar-se de nós, e outras vezes a aproximar-se. Assim, se formos capazes de medir a velocidade de uma estrela com grande precisão, da ordem de alguns metros por segundo (m/s), seremos capazes de detectar o movimento desta, provocado pela eventual presença de um planeta.
Por exemplo, Júpiter induz no sol um movimento com uma amplitude da ordem de 13 m/s.
O primeiro planeta extra-Solar
Foi exactamente esta técnica que nos permitiu detectar a maioria dos planetas extrasolares descobertos até hoje em torno de estrelas semelhantes ao sol. ainda assim, foi necessário esperar até 1995, altura em que uma equipa de astrónomos suíços liderada pelo Prof. Michel Mayor (Observatório de Genebra) anunciou o primeiro destes corpos, a orbitar a estrela 51 da constelação do Pégaso (51Peg).
A maldição estava quebrada... finalmente um planeta! No entanto, havia um detalhe completamente inesperado: o planeta descoberto não se parecia em nada com os velhos conhecidos do sistema solar. No lugar de um planeta gigante gasoso a orbitar longe da sua estrela (tal como Júpiter ou Saturno), o planeta que orbita a estrela 51 Pegasi dá uma volta a esta (ou antes, ao centro de massa do sistema) em apenas 4,2 dias! Ou seja, encontra-se cerca de 20 vezes mais perto da estrela do que a terra se encontra do Sol.
Um zoo de planetas
Como tantas vezes acontece em Ciência, o difícil é descobrir o primeiro. Em apenas 13 anos, o número de planetas extra-solares conhecidos aumentou para cerca de 300. Afinal, os planetas parecem existir, e mais do que isso, parecem ser comuns no Universo.
À semelhança do caso do planeta da 51Peg, de um modo geral as descobertas causaram grande espanto. Os astrónomos esperavam encontrar planetas como Júpiter, em órbitas quasi-circulares e longe da sua estrela (tal como indicado pelas teorias tradicionais), e encontraram toda uma variedade de mundos. Assim sendo, estas descobertas levantaram (e levantam) múltiplas questões. Como se formaram estes planetas? Ou, se quisermos, como se formam os planetas gigantes de um modo geral?
As teorias aceites há apenas 10 anos atrás foram postas em causa, e novos dados tiveram que ser introduzidos. Os resultados mais recentes começam já a desvendar alguns dos mistérios, e as primeiras respostas são já evidentes.
A luz ao Fundo do túnel
Com o passar do tempo e o avanço da tecnologia, hoje é possível medir a velocidade de uma estrela com uma incrível precisão de 1m/s! Tal permitiu mesmo descobrir alguns planetas com massas de apenas 5 vezes a massa da terra, embora em órbitas de muito curto período. Por outro lado, complementando a técnica das velocidades radiais com a chamada técnica dos trânsitos, tem sido possível estudar as propriedades dos planetas em si. A técnica dos trânsitos, uma outra técnica de detecção indirecta, baseia-se no facto de que quando um planeta passa à frente da estrela (como visto por nós aqui na terra) vai bloquear um pouco da luz desta, produzindo assim uma ligeira variação momentânea do seu brilho. Adicionando os resultados obtidos com a técnica das velocidades radiais é possível determinar o diâmetro dos planetas detectados, a sua densidade, e assim estudar a sua estrutura interna. Mais ainda, uma série de observações complementares permitiu já detectar e estudar a atmosfera de um dos planetas gigantes, entretanto descoberto. Os resultados mostram que este planeta, que se encontra muito perto da estrela, pode estar a evaporar lentamente. Por fim, observações no infra-vermelho permitiram medir a radiação emitida por dois destes mundos, mostrando que estes planetas são um verdadeiro inferno, com temperaturas da ordem dos 1500K. Mais recentemente, foi mesmo possível obter imagens de planetas em torno de outras estrelas. Embora ainda apenas para casos muito extremos, nomeadamente para planetas de grande massa e em órbitas de longo período (que estão assim longe da estrela), estas descobertas parecem abrir o caminho para a detecção directa de exoplanetas.

(in Diário Insular)

Etiquetas: , , ,

terça-feira, Maio 26, 2009

BCC board names 2009 distinguished citizen and professors emeriti

Bristol Community College's Board of Trustees will award its highest honor, the Distinguished Citizen, to Fall River resident Fernando Garcia during the 42nd Commencement Exercises, scheduled for May 30.
Garcia is the president and owner of Fall River Ford. He has continuously helped to bridge the gap between BCC and the Portuguese and Azorean communities. A strong supporter of the LusoCentro, the College's center for culture and language studies, he was instrumental in ensuring that BCC participated in the 2007 trade mission to the Azores led by Congressman Barney Frank. The discussions on that mission led to agreements with the University of the Azores and the Public Library of the Azores, benefiting students and faculty in the exchange of culture, language, sciences, and heathcare. A highly visible community activist, Garcia has dedicated his time to the Fall River Chamber of Commerce, Charlton Memorial Hospital, and the Portuguese Community (Prince Henry Society).
Also at Commencement, two retired faculty members will be named Professor Emeritus — David Warr, as Professor Emeritus of biology and chemistry, and Alan Powers, Professor Emeritus of English. Both were credited by colleagues as professors that believed in the abilities of their students, setting high expectations and helping students to achieve the success of meeting them.
(in The New England Business Bulletin)

Etiquetas: ,

INTEGRATED WATER MANAGEMENT IN THE SEVEN CITIES BASIN



The Sete Cidades lake in the Azores, is located in a volcanic crater. Increased frequency of logging (380 hectares of production forests) and the use of fertilizers on pastures and forages (450 hectares) that sustain 750 cows, provide direct employment to 67 farmers and induce employment to more 50 actives, but also increases the eutrophycation and sedimentation of the lake. To address the issue an integrated model generates efficient land use scenarios for different degrees of phosphorus emissions with related effects in the water quality. The model is used to obtain various indicators for each scenario that feed a multi-objective program able to find the dominant solutions. The final solution is chosen by the politicians: 600 cows that produce 3.0 millions of milk, provide direct employment to 55 farmers and induce employment to more 41 actives. This, jointly with a partial stream deviation, allows a reduction of 63% of the phosphorus load to the lake. Compensatory measures pay the farmers their losses and compensate the community for the lost employment.

(in NATO CCMS Pilot Studies on Integrated Water Management: Practical Experiences and Case Studies)

Etiquetas: , , , , ,

Europeias: Lista do CDS-PP conta com 46% de mulheres

A lista do CDS-PP às europeias inclui 46 por cento de mulheres, a primeira das quais, no terceiro lugar, já de eleição incerta, é a deputada Teresa Caeiro.
Nove dos 22 candidatos efectivos são mulheres. Ao todo, a lista entregue no Tribunal Constitucional inclui 14 mulheres em 30 candidatos, o que corresponde a 46 por cento.
O critério da distribuição dos lugares ponderou «o peso do distrito» no eleitorado e não tanto a obrigação legal de incluir um terço de mulheres, segundo o secretário-geral do partido, João Almeida. É por isso que, em 4º lugar surge Emiliana Silva, professora do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores, em 5º Beatriz Soares Carneiro, jovem advogada do distrito de Lisboa, e em 6º lugar Cecília Meirelles Graça, deputada municipal no Porto.
A pertença aos órgãos distritais ou concelhios e, em alguns casos, o exercício de mandatos municipais ou de freguesia é um traço comum às candidatas.

(In Diário Digital)

Etiquetas: , ,

Do melhor...

Tenho tido a oportunidade de assistir a diferentes workshops/seminárioss/palestras promovidos por diferentes entidades locais, a maioria delas, talvez, por iniciativa da universidade dos Açores - que me parece ser uma instituição cada vez mais pro-activa, e, nestes últimos meses, diga-se que o que esta instituiçao tem proporcionado é, porventura, do melhor que se faz em toda a região. São palestras riquissimas, que permitem trazer até nós alguns bons especialistas, dentro das temáticas que são abordadas, verdadeiros gurus, e com um excelente poder de comunicação e cativantes na abordagem dos assuntos. Algumas destas iniciativas continuam a passar um pouco à margem da população em geral; outras não têm o sucesso que poderiam ter, talvez por a comunicação social lhes dar pouco eco; outras acabam pura e simplesmente no esquecimento e, apesar do seu conteúdo, terminam sem que alguém tivesse tido conhecimento delas. Ainda recentemente, tive a oportunidade de constatar exactamente isso. No mesmo dia, a horas distintas, dois eventos especificos e interessantes tiveram públicos totalmente desiguais. A primeira contou com a presença dos oradores e ninguém mais; a segunda teve direito a sala cheia.Em todo o caso, reforço, a importante tarefa desta instiuição, sempre atenta e desperta para ensinar e eçucidar a sociedade açoriana das problemáticas/questões/assuntos que a todos nos afectam quase diariamente.

(In Pas de deux)

Etiquetas: , ,

segunda-feira, Maio 25, 2009

Tomada de Posse da Assembleia da Universidade e Visita de Patrão Neves ao LamTec

CICLO DE CINEMA - OLHAR A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A Culturangra EEM e a Universidade dos Açores uniram-se num projecto de curso, onde se pretende criar um -Ciclo de Cinema, intitulado “Olhar a diversidade na escola”, que irá decorrer no Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo, de 26 a 29 de Maio de 2009. Com esta iniciativa pretende-se sensibilizar o público em geral, com especial atenção às comunidades educativas, estimulando a reflexão sobre a relação entre as práticas pedagógicas e as mudanças em curso na sociedade, que requerem atenção à diversidade existente entre os estudantes, no contexto da escola e da sala de aula. Da mesma forma, pretende-se estimular nos alunos, de diferentes níveis de ensino, o gosto pela cultura cinematográfica, fazer com que visualizem filmes com diferentes abordagens e que reflictam, particularmente neste Ciclo de Cinema, sobre a sua forma de ser e estar na escola e as implicações que daí possam advir. Para o desenvolvimento deste Ciclo de Cinema foi seleccionado um filme para cada dia, sendo temática da diversidade abordada em diferentes perspectivas. Após as sessões de cinema gratuitas, irão realizar-se comentários/debates, dinamizados por diferentes oradores, com o intuito de promover reflexões sobre a diversidade a partir das diferentes perspectivas abordadas nos filmes.Dia 26 de Maio – “A Turma”(Professor Doutor Francisco Sousa e Prof. José Eduardo Meneses)Dia 27 de Maio – “Blackboards”(Prof.ª Teresa Valadão e Dr. Maduro Dias)Dia 28 de Maio – “Pro dia nascer feliz”(Prof.ª Paula Quadros e Dr.ª Filomena Vilaça) Dia 29 de Maio – “Huitiéme jour”(Prof.ª Glória Torres e Dr.ª Filomena Santos). Esta semana iniciar-se-á com uma sessão de abertura, que será apresentada pelo grupo organizador deste evento, alunas do Curso de Pós-graduação em Necessidades Educativas Especiais da Universidade dos Açores, pela Professora Doutora Letícia Leitão, coordenadora do curso, pelo Professor Doutor Francisco Sousa, tutor do projecto final do curso e pela Dr.ª Luísa Brasil, Presidente do Conselho de Administração da Culturangra. Quanto à sessão de encerramento, pretende-se que seja precedida de uma pequena recepção e que após o debate se proceda à entrega de certificados de participação. Para além disso, será proposto que após a visualização de cada filme, cada estudante presente na sessão faça um pequeno comentário escrito. De todos os comentários entregues, serão eleitos os três melhores pelos membros do grupo organizador, recebendo os alunos os seguintes prémios:1.º – dois bilhetes para o ballet “Quebra Nozes”; 2.º – quatro bilhetes para sessões de cinema à escolha; 3.º – dois bilhetes para sessões de cinema à escolha.
(In Via Oceanica)

Etiquetas: , , , ,

À CÂMARA DE ANGRA Francisco Cota Rodrigues número dois pelo PS

Francisco Cota Rodrigues, especialista em recursos hídricos, do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores, deverá ser o número dois da lista socialista à Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.
Actual administrador executivo da empresa municipal Praia Ambiente, Cota Rodrigues é encarado pelas hostes do PS como uma “aposta segura e credível” com vista a solucionar os problemas de abastecimento de água que têm afectado o concelho angrense.


Com uma tese de doutoramento, apresentada em 2002, sobre Hidrogeologia da Ilha Terceira, Cota Rodrigues, que curiosamente ocupa ainda o cargo de presidente de Mesa da Assembleia de Ilha do CDS/PP, será o candidato socialista para assumir a liderança dos Serviços Municipalizados de Angra do Heroísmo em detrimento de Sofia Couto, em nome de uma “necessária renovação”.
Além de Sofia Couto, do actual elenco camarário, é dado adquirido a saída da vereadora para o pelouro da Cultura, Luísa Brasil.
A pasta cultural deverá, desta forma, passar para Miguel Costa, actual administrador da Culturangra e responsável pela Comissão das Sanjoaninas 2009.
Em dúvida está a continuidade do vereador Miguel Borba, enquanto que é tida como hipótese “muito provável” a candidatura da engenheira agrónoma Fátima Amorim para ocupar o terceiro lugar na lista do PS à edilidade angrense.
Quem deverá continuar a merecer a confiança socialista para a presidência da Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo é Francisco Barros, figura considerada como “indispensável para manter a ligação ao eleitorado base do partido”.

Continuidade na Praia
Por outro lado, Roberto Monteiro, na Praia da Vitória, será acompanhado pelos actuais vereadores Paulo Messias, Paulo Codorniz e Paula Ramos.
Na Assembleia Municipal, o advogado Fernando Rocha ainda não manifestou disponibilidade com vista a uma eventual recandidatura à presidência como candidato socialista.
(In João Rocha em A União)

Etiquetas: ,

Seminário sobre ambiente e desenvolvimento sustentável

“Ambiente e Desenvolvimento Sustentável” é o tema de um seminário que está agendado para o dia 05 de Junho, a partir das 09H15, nos Paços do Concelho da Praia da Vitória. Promovido pela Praia Ambiente, no âmbito do programa de Educação Ambiental, o seminário destina-se a assinalar o Dia Mundial do Ambiente, alertando para as problemáticas ambientais, nomeadamente no que se refere às questões relacionadas com o desenvolvimento sustentável, dando enfoque ao caso concreto do concelho da Praia da Vitória. Segundo a Praia Ambiente, a escolha desta temática enquadra-se na comemoração da “Década das Nações Unidas da Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005-2014), estabelecida pelas Nações Unidas, com o intuito de promover a sensibilização e informação ambiental da população, dado que esta assume um papel fulcral na construção do desenvolvimento sustentável. “Água subterrânea na ilha Terceira”, “Ambiente e economia”, “Educação ambiental e desenvolvimento sustentável” e a “A actividade dos Serviços de Inspecção do Ambiente na ilha Terceira” são os temas que serão abordados no seminário. Na sua resolução 2994 de 15 de Dezembro de 1972, a Assembleia Geral da ONU designou 05 de Junho Dia Mundial do Ambiente, a fim de sensibilizar a opinião pública para a necessidade de proteger e de valorizar o ambiente. Esta data foi escolhida porque recorda o dia de abertura da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Humano (Estocolmo, 1972), que culminou com a criação do Programa das Nações para o Ambiente. Neste seminário participam docentes do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores.
(in Diário Insular)

Etiquetas: , ,

domingo, Maio 24, 2009

Visita de Nuno Melo ao Departamento de Ciências Agrárias

Falta de Chuva na Terceira - Entrevista a Cota Rodrigues

Ricardo Madruga da Costa eleito presidente do Conselho Geral

Ricardo Manuel Madruga da Costa é o primeiro presidente do Conselho Geral da Universidade dos Açores. Natural do Faial, o historiador de 64 anos, foi eleito pelos membros do novo órgão da universidade na passada quarta-feira, data em que o Conselho Geral tomou posse. Ricardo Madruga da Costa foi uma das quatro personalidades externas convidadas a integrar o conselho, pelos membros eleitos pela universidade. As eleições decorridas a 19 de Março deram vitória à lista D, encabeçada por Giberta Rocha.O novo presidente revelou ao DI que o facto de já ter leccionado na Universidade dos Açores, de ser doutorado e de se identificar com os problemas do estabelecimento de ensino, foram decisivos para aceitar o convite para integrar o órgão. O historiador acrescenta que considerou que “tinha capacidade de ajudar e de apresentar propostas” e salienta que a sua “disponibilidade” também contribuiu para a decisão. Ricardo Madruga Costa anunciou ainda que o Conselho Geral deverá ter a primeira reunião no final do mês, mas que até à data ainda não estão acertadas as primeiras decisões do órgão. “O conselho vai funcionar em função das competências que lhe são próprias, que têm muito a ver com os calendários da universidade”, acrescenta. O Conselho Geral, adoptado após a entrada em vigor dos novos estatutos da Universidade dos Açores, tem poder para nomear, suspender ou destituir o reitor. O órgão é composto por oito professores e investigadores, dois estudantes e um membro não docente.

(In Diário Insular)

Etiquetas: ,

Açores são terreno fértil para as energias limpas

Candidata do PSD/Açores ao Parlamento Europeu defende uma aposta forte nas energias renováveis no arquipélago. Diz que a Região tem de estar na vanguarda da investigação.
A candidata açoriana ao Parlamento Europeu sublinha que os Açores reúnem todas as condições para se colocarem na vanguarda da produção energética a partir de fontes renováveis. Maria do Céu Patrão Neves, que falava aos jornalistas no final de uma visita ao Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia (LAMTec), na Praia da Vitória, argumenta que o mar, a geotermia e o hidrogénio se apresentam como potencialidades para o arquipélago e que não podem ser descuradas.“A produção de energias limpas nos Açores é um terreno muito fértil. Daí apresentar-se como uma forte possibilidade para tomarmos a dianteira em termos de investigação e prospecção e alcançarmos dividendos económicos importantes”, alega.Patrão Neves sublinha que este objectivo deve originar sinergias entre a Universidade dos Açores e o Governo Regional. “A Universidade dos Açores tem um papel de produtora de conhecimento e líder na investigação e o Governo Regional tem o dever de potenciar o trabalho em rede, investindo fortemente nesta área. O fundamental é que cada parte saiba a sua função e que na cooperação com as restantes partes se alcancem os objectivos centrais: a produção de energia limpa e a sua rentabilização para as ilhas e para o exterior”, argumenta, recordando que a União Europeia tem incentivado esta vertente, tendo estabelecido como meta que, dentro de dez anos, 20 por cento da energia consumida tenha origem em fontes renováveis. A meta para Portugal é de 31 por cento.
Compromissos
Antes da visita ao LAMTec, Maria do Céu Patrão Neves participou num pequeno-almoço com jornalistas da Terceira, onde reafirmou os compromissos eleitorais que tinha apresentado na noite de quarta-feira, em Ponta Delgada. Depois de apelar ao voto (ver caixa), sublinhou que pretende sensibilizar os açorianos para a sua participação na construção da Europa e que esta não pode ver o arquipélago como um custo.“Exigimos a coesão política e a solidariedade social da Europa, mas oferecemos ao mesmo tempo a diversidade que nos caracteriza e a especificidade que sabemos desenvolver”, alega. Para Patrão Neves, o relacionamento das ilhas com a Europa deve desenvolver-se em quatro eixos: político (reforço do estatuto de ultraperiferia e, paralelamente, consolidação do papel do arquipélago como centro transatlântico), económico (agro-pecuária, pescas e transportes como sectores prioritários para a Região), social (emprego, saúde e educação como prioridades) e Ambiente (preocupação que se interliga com as anteriores).“Devemos promover as nossas tradições e, conhecendo-as, procurar a inovação. É este o desafio que apresento”, explicou. Na quarta-feira, Patrão Neves apresentou o seu compromisso. Antes dela, a líder do PSD/Açores, Berta Cabral, caracterizou-a como uma “candidata multisectorial”, e classificou o cabeça-de-lista do PS, Vital Moreira, como “inimigo dos Açores”, dizendo que isso não pode ser posto de lado na escolha dos açorianos nas eleições europeias.
Abstenção elevada não dignifica os Açores
A candidata do PSD/Açores ao Parlamento Europeu diz que a abstenção elevada nas eleições de 07 de Junho penaliza os Açores ao demonstrar o desinteresse dos açorianos nas questões europeias.Maria do Céu Patrão Neves diz que esse alheamento reduz a força da Região no espaço europeu e não dignifica os açorianos.“Por isso, o repto que lanço vai no sentido de cada açoriano votar como testemunho da sua vontade em construir uma sociedade melhor. Na vossa freguesia, na vossa ilha, na vossa região, no país e na Europa, somos todos necessários, mas temos que dar voz aquela que é a nossa vontade”, concluiu.Na quarta-feira, na apresentação do seu compromisso eleitoral, Patrão Neves já tinha sublinhado esta ideia, assumindo o compromisso de proximidade com os açorianos depois da sua eleição.“O projecto europeu, a integração plena dos Açores na Europa, precisa do contributo de todos os açorianos. Nenhum é dispensável e todos fazem falta, cada um contribuindo com a sua singularidade para o todo que somos. Contarei com as experiências dos seniores, com os conhecimentos dos adultos, com os sonhos dos jovens e com as justas aspirações de todos”, disse.

(In Diário Insular)

Etiquetas: , , ,

sábado, Maio 23, 2009

PROGRAMA CULTURAL DA PRAIA DA VITÓRIA » 23 MAIO A 18 JUNHO

O Vereador Paulo Codorniz apresentou esta manha o Programa Cultural para o Concelho da Praia da Vitória de 23 de Maio a 18 de Junho.
Entre meados de Maio e meados de Junho, o concelho da Praia da Vitória estará em festa, quer pela quantidade, quer pela qualidade dos acontecimentos culturais que aqui decorrerão.
Já no próximo dia 23, no Auditório do Ramo Grande, pelas 21.30 Horas, teremos o concerto de Ana Free, jovem compositora, letrista, instrumentista e cantora, fenómeno da música a nível internacional, nº 1 do top português no Itunes, com mais de 8 milhões de visitas aos seus vídeos.
No mesmo dia, na freguesia da Agualva terá início a III Semana Cultural das Freguesias sob o tema: Nascente (Agualva) de Usos e Tradições. Do programa, para além do Encontro de Coros, desfile e actuações dos Grupos Folclóricos do Concelho, Exposições, Workshops, Concertos de Filarmónicas, Artesanato, Noite de Moda, haverá Teatro pelo grupo Artyaplausos, com a peça: Eu amo reciclar e as fadas também, com jovens artistas da televisão, num projecto educativo que pretende envolver todos os agentes da educação, nomeadamente a comunidade escolar.
De realçar ainda a vinda de dois grupos alentejanos: Os Banza, com música popular alentejana, num espectáculo repleto de musicalidade e alegria, e Os Almocreves, grupo constituído por 30 elementos que transformam a aridez alentejana num fluído melodioso através do cante tradicional alentejano.
Estes dois grupos para além duma presença na Semana Cultural da Agualva, irão animar outras festividades do concelho, nomeadamente a Onda Cultural que decorrerá no Cabo da Praia, entre 29 e 31 de Maio.
No dia 1 de Junho, Dia Mundial da Criança, pelas 18.00 horas, no Auditório do Ramo Grande, terá lugar a III Edição do Festival da Canção Infantil “Sol Menor”, onde para além de mais de uma dúzia de crianças da nossa terra, estarão presentes representantes dos festivais da canção infantil da Povoação, Lajes do Pico e Santa Cruz das Flores.
No dia 2 será celebrado o Dia Mundial da Criança com diversas actividades, numa parceria do Município com entidades desportivas do concelho, com a Universidade dos Açores, e com a Escola Secundária Vitorino Nemésio, nomeadamente o seu departamento de Matemática.
No dia 13 de Junho, pelas 21.30 horas, no ARG, haverá Teatro, com a peça Tangos e Tragédias, em cena há mais de 25 anos nos palcos dos maiores teatros do Brasil, tendo já passado pela Argentina, Equador, Colômbia e Espanha. Foi escolhido pelo público como o melhor espectáculo durante o Festival Internacional de Teatro de Almada (2003) e Espectáculo de Honra em 2004.
No dia 18 de Junho, também no ARG, pelas 21.30H, concerto pela Banda de Música da Força Aérea, dirigida pelo Tenente-Coronel Élio Murcho.
(in Câmara Municipal da Praia da Vitória)

Etiquetas: , ,

Açores debatem-se com oito mil desempregados

O desemprego nos Açores aumentou 1,1 por cento em Abril, face ao mesmo período de 2008, lançando a taxa para os 6,7 por cento. No final do primeiro trimestre deste ano existiam perto de oito mil desempregados no arquipélago, mais 1600 que nos mesmos meses do ano passado.Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE) e revelam também que se perderam na Região 1300 postos de trabalho em seis meses, entre Outubro de 2008 e Março de 2009. Já o director regional do Trabalho, Qualificação Profissional e Defesa do Consumidor, Rui Bettencourt, adiantou esperar que os números se invertam até ao fim do ano.Rui Bettencourt salientou o facto de a taxa de desemprego verificada nos Açores continuar a ser a mais baixa do país.No Continente, as estatísticas do INE revelaram uma taxa de desemprego de 8,9 por cento, que ultrapassa as previsões do Governo. Em declarações à RDP/Açores, o governante adiantou que houve criação de postos de trabalho na área dos serviços, mas que esta foi insuficiente para compensar a crise na construção civil.O director regional avançou ainda que o executivo açoriano está atento à situação e tem equipas no terreno.
Função pública e lavoura
Já de acordo com o blogue “Números e Números”, são os sectores da administração pública e da agricultura que continuam a evitar uma subida ainda mais acentuada do desemprego nos Açores.No ano passado e nos primeiros três meses de 2009, foram admitidos cerca de 4 mil funcionários públicos, incluindo nas áreas da educação e saúde. Se a agricultura também criou alguns empregos - actualmente emprega 13,7 por cento da população do arquipélago - a construção civil é um sector claramente em crise. De acordo com a Associação dos Industriais de Construção e Obras Públicas dos Açores (AICOPA) cerca de dois mil trabalhadores terão sido despedidos neste sector no arquipélago, desde finais de 2007, como consequência da crise económica.“É uma estimativa com base em informações de vários despedimentos e quebras nos indicadores de consumo de cimento e de edifícios licenciados”, afirmou o presidente da AICOPA, Albano Furtado. Numa visita, na semana passada, às obras da avenida marginal, na Praia da Vitória, o secretário regional da Economia também afirmou que seria expectável uma “ligeira subida” do desemprego e uma quebra no turismo.
Afirma economista Tomaz Dentinho:Colapso de mercados da emigração eleva desemprego no arquipélago.
Com a crise a nível mundial, que atinge países como os Estados Unidos da América e Canadá, esgotaram-se os mercados para onde os açorianos tradicionalmente emigravam, o que leva a um aumento progressivo do desemprego na Região. A posição é do economista e professor da Universidade dos Açores, Tomaz Dentinho. “Durante 30 anos, desde que os Estados Unidos abriram as portas, nos anos 60, que o desemprego nos Açores é muito reduzido em relação ao exterior. Quem não tinha emprego, emigrava. Com a crise mundial, os mercados que absorviam estes desempregados deixam de existir”, afirma, acrescentando que também o mercado de Portugal continental, devido à crise, deixou de ser uma opção. Quanto a programas de estágios profissionais como o “Estagiar L” ou “Estagiar T”, Tomaz Dentinho considera que é uma má política “gastar dinheiro público em programas de estágios que apenas criam nas pessoas a ilusão de que vão ter emprego”.O economista acredita que, com a recuperação da economia norte-americana, no espaço de perto de dois anos, a situação se inverta, mas afirma que, mesmo assim, os açorianos que pretendam emigrar podem encontrar entraves. “A nossa mão-de-obra pode não ser suficientemente qualificada para ir de encontro ao que procuram estes países e a crise pode também gerar processo de xenofobia, com os empregos a serem reservados para os locais”, lança.

(in Diário Insular)

Etiquetas: , , ,

Actividades para crianças a bordo do Santorini

No âmbito da disciplina de projecto de animação sócio-educativa, quatro alunas da Universidade dos Açores (Ana Janeiro, Ana Maré, Ana Nunes e Sónia Pereira) implementaram o seu projecto a bordo do Express Santorini, um dos barcos da frota Atlânticoline. Com o tema “À descoberta dos oceanos”, este projecto consistiu num conjunto de actividades (realizadas no interior do barco e no cais da Praia da Vitória) denominadas por “a caça ao tesouro”, em que as crianças tiveram que passar por várias etapas até chegar ao “tesouro”. No cais, foram realizadas três actividades, nomeadamente aeróbica, experiências e pinturas faciais. Aquelas quatro alunas da Universidade dos Açores contaram com diversos apoios para a implementação do projecto.

(In Diário Insular)

Etiquetas: , ,

CDS-PP lança duras críticas ao Ministro da Agricultura

Fim do regime de quotas leiteiras, educação, ensino superior e qualificação dos recursos humanos, foram os temas centrais da visita do cabeça de lista do CDS-PP às Eleições para o Parlamento Europeu, Nuno Melo, à Ilha Terceira, durante a passada quarta-feira.
Acompanhado pela candidata dos Açores na lista nacional às Europeias de 7 de Junho próximo, Emiliana Silva, os populares iniciaram o dia com uma visita ao Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores e ao novo Centro de Actividades Ocupacionais da ACM (Associação Cristã da Mociedade), na Terra-Chã. Nuno Melo mostrou-se preocupado com os elevados índices de abstenção, que habitualmente se verificam neste acto eleitoral, apelando ao elevado nível do debate e a uma campanha pedagógica para cativar os eleitores: “é um esforço que tem que ser feito e que tem que ser colectivo, pois quando a abstenção é muito grande coloca-se em causa a legitimidade dos eleitos”. “A nossa primeira mensagem tem sido exactamente no sentido da mobilização dos eleitores e de explicar-lhes a importância deste acto eleitoral”, acentuou. Relativamente aos assuntos abordados pelos candidatos democratas-cristãos, Melo apontou a importância da educação, ensino superior, investigação, formação profissional e ensino vocacionado para a integração de deficientes, porque “se é verdade que a educação é fundamental, tendo em conta a realidade de Ultraperiferia dos Açores, mais determinante é ainda”. A temática que maior tempo gastou aos candidatos do CDS-PP foi a Agricultura. Aqui os populares são fortes críticos do Ministro Jaime Silva que acusam de ter “capitulado sem luta” na questão das quotas leiteiras, aceitando o fim do regime “como se fosse uma inevitabilidade”. “O ministro que se tem dado ao luxo de desperdiçar milhões de euros de fundos comunitários para a agricultura, é o mesmo ministro que quando percebe o fim de um sistema tão importante para a Região e para o País capitulou sem luta. Não foi capaz de ser o dinamizador ou de se juntar a outros países para se esforçarem no sentido de defender os interesses dos agricultores portugueses em Bruxelas e tentar o prolongamento da data final prevista para o fim deste sistema de quotas”, lamentou. Em boa verdade, prosseguiu Nuno Melo, “aqui nos Açores o que o Sr. Ministro conseguiu foi uma visita para ser entronizado confrade do queijo de São Jorge, o que é muito pouco. Mais se justificaria que aqui tivesse vindo para explicar aos agricultores, debater com eles, eventualmente até pedir-lhes conselhos, para levar daqui mandato para lutar em Bruxelas por um sector tão fundamental para a nossa economia”. Para os centristas “este ministro está associado sempre às piores notícias” e “tal qual desperdiça fundos comunitários, em relação às quotas capitulou sem luta”, acrescentando que “tendo em conta um sector tão importante para Portugal o que faria sentido é que o Sr. ministro fosse o dinamizador, o primeiro a reivindicar de Bruxelas a importância deste sistema e tentar o seu prolongamento”.
(in Diário dos Açores)

Etiquetas: , , ,

sexta-feira, Maio 22, 2009

Noite dos Museus - Reportagem

No passado sábado, o Museu de Angra do Heroísmo abriu as suas portas à comunidade num horário nocturno (21h00 à 01h00), aderindo, deste modo, pelo quarto ano consecutivo, à Noite dos Museus, iniciativa lançada pelo Ministério da Cultura e Comunicação de França. Foram muitos os terceirenses que optaram por esta noite diferente, visitando o Museu de Angra. Embora a grande atracção tenha sido a abertura de um planetário digital, que efectuou quatro sessões contínuas, as observações astronómicas cativaram também os visitantes, dadas as excepcionais condições de visibilidade registadas. O Museu, iluminado com candeias, transformou o céu nocturno no grande protagonista da noite, instalando, com a colaboração de astrónomos amadores e de clubes de astronomia da ilha Terceira, três telescópios no claustro e no pátio fronteiro à Igreja de Nossa Senhora da Guia. Para a organização deste evento, o Museu de Angra do Heroísmo contou com o apoio da Universidade dos Açores, que deste modo se associou à iniciativa «E Agora Eu sou Galileu», promovida pela Sociedade Portuguesa de Astronomia.
Na mesma ocasião, ocorreu ainda a abertura da exposição Os Astros entre Nós, que além de um meteorito de 2,2 kg oriundo do Campo del Cielo (Argentina), exibe vários exemplares de relógios de sol de diferentes tipos e instrumentos náuticos de diversa natureza como astrolábios, octantes e sextantes, com destaque para uma curiosa bússola chinesa ou "Luo Pan". Na mesma mostra, pode ainda ver-se um magnífico Livro de Horas do século XVI, um curioso exemplar de um calendário perpétuo em latão e pedra e vários diários de bordo. Num desdobrável editado pelo Museu de Angra do Heroísmo relativo a esta exposição, mostra-se a disposição do Sistema Solar à escala sobre a ilha Terceira, considerando o Sol no claustro do antigo Convento de S. Francisco, de acordo com o alinhamento de astros acontecido em 5 de Maio de 2000.
O planetário digital estará em funcionamento até 29 de Maio, realizando oito sessões diárias, de terça a sexta-feira, com a duração de cerca de 20 minutos, encerrando à segunda-feira. De manhã, as sessões decorrerão às 9h30, 10h15, 11h00 e 11h45. De tarde, o horário é o seguinte: 13h30, 14h45 15h15 e 16h15. Durante os fins-de-semana (sábados e domingos), terão lugar sessões às 14h15, 15h00 e 15h45 e 16h30. As visitas são gratuitas, sugerindo-se apenas o prévio agendamento das visitas de grupos através do Serviço Educativo do Museu de Angra do Heroísmo (endereço electrónico: ana.ls.almeida@azores.gov.pt; ou telefone: 295213147).
(In Newsletter do Museu de Angra do Heroísmo)

Etiquetas: ,

Poluição atmosférica, alterações climáticas e energias renováveis

Foram realizadas no dia 19 de Maio de 2009, no Colégio de Santa Clara em Angra do Heroísmo, três palestras sobre poluição atmosférica, alterações climáticas e energias renováveis, pelo professor Félix Rodrigues do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores.
Essas palestras enquadram-se na "Semana do Ambiente" que o Colégio de Santa Clara está a levar a cabo.
Na primeira palestra, destinada a crianças dos quatro aos seis anos, Félix Rodrigues acentuou os efeitos na saúde da poluição atmosférica, a importância da floresta no sequestro de dióxido de carbono, ou seja de poluição que pode afectar o número de dias em que chove ou que não chove e como poderiamos contribuir para que não houvesse tanta poluição do ar. Exemplificou através de esquemas simples, de desenhos de crianças, como se pode produzir energia eléctrica com a geotermia, dando como exemplo a produção de luz numa bicicleta, quando se pedala.
Para as crianças do primeiro ciclo, foram explicado rapidamente o que era o efeito de estufa, de que modo esse efeito afecta a saúde das pessoas e o ambiente e exploradas a produção de energia eólica, energia geotérmica e energia solar.
Na terceira palestra, destinada a alunos do terceiro ciclo, foi explicado o que são alterações climáticas globais, as razões pelas quais o clima do mundo é afectado globalmente e não localmente pela poluição atmosférica e apresentados alguns cenários que resultam do aumento da temperatura média do planeta, como a subida do nível médio da água do mar, o aumento do número de ciclones, o desaparecimento de espécies, entre outras razões.
Foi referido que os Açores possuem fontes renováveis de energia, fontes não poluentes, que poderiam ser aproveitadas para produzir energia limpa como a geotermia, a energia eólica ou a energia das marés.

Etiquetas: , , , , ,

Atitudes face ao Ambiente

Foram realizadas no dia 18 de Maio de 2009, no Colégio de Santa Clara em Angra do Heroísmo, duas conferências, para alunos do primeiro e segundo ciclo do ensino básico, sobre o Ambiente e atitudes faces ao Ambiente, pelas professoras do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores, Emiliana Silva e Rosalina Gabriel.

Além de alguns jogos educativos realizados com os alunos, acerca da importância dos domínios: água, ar e água também abordaram questões sobre a gestão de resíduos sólidos e foram exploradas algumas preocupações dos habitantes dos Açores comparativamente a Castelo Branco, duas regiões periféricas portuguesas, numa tentativa de explicar a esse alunos os conteúdos da obra "Atitudes face ao Ambiente em Regiões Periféricas", editado pelas duas professoras.

Emiliana Silva e Rosalina Gabriel, definem ambiente tal como se adoptou na Lei de Bases do Ambiente de 1987 "o conjunto dos sistemas físicos, químicos e biológicos e das suas relações, e dos factores económicos, sociais e culturais, com efeitos directos ou indirectos, mediatos ou imediatos sobre os seres vivos e a qualidade de vida do homem". As professoras tentaram explorar este conceito com uma população estudantil que tem apresenta, dada a fase etária em que se encontram, alguma dificuldade em compreender este conceito abrangente.

Etiquetas: , , , ,

Influências Genéticas e Ambientais na Produção Leiteira em Vacas Frísia nos Açores

Realizaram-se no dia 18 de Maio, pelas 10 horas, no Auditório do pólo da Terceira da Universidade dos Açores, as provas de Mestrado em Produção Animal, requeridas pela licenciada Ana Luísa Mendes Pavão. As provas serão avaliadas por um Júri presidido (por designação do Reitor) pelo doutor José Estevam da Silveira Matos, professor catedrático da Universidade dos Açores, sendo vogais os Doutores Luís Lavadinho Telo da Gama, professor catedrático da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Técnica de Lisboa, e Jorge António Colaço, professor catedrático da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. As provas constaram da discussão pública, com crítica e defesa, de uma dissertação intitulada Influências Genéticas e Ambientais na Produção Leiteira em Vacas Frísia nos Açores.

Etiquetas: , , ,

Estudo da Acção de Taninos Condensados provenientes de Vacas Leiteiras em Pastoreio

Realizaram-se no dia 7 de Maio, pelas 14h30m, no Departamento de Ciências Agrárias, as provas de Mestrado em Produção Animal, requeridas pela licenciada Sandrine Cascais Vieira. As provas foram avaliadas por um Júri presidido (por designação do Reitor) pelo doutor Alfredo Emílio Silveira de Borba, professor catedrático da Universidade dos Açores, sendo vogais os Doutores João Manuel de Carvalho Ramalho Ribeiro, investigador auxiliar da Estação Zootécnica Nacional, e Oldemiro Aguiar do Rego, professor auxiliar da Universidade dos Açores. As provas constaram da discussão pública, com crítica e defesa, de uma dissertação intitulada Estudo da Acção de Taninos Condensados provenientes de Vacas Leiteiras em Pastoreio.

Etiquetas: , , , ,

quinta-feira, Maio 21, 2009

Cyclic patch dynamics in a Macaronesian island forest

R. B. Elias, and E. Dias

We assess if the structural and floristic diversity of Juniperus-Ilex forests from Pico Island (Azores) corresponds to a mosaic of different phases of a forest cycle, by identifying the phases of that cycle and the dynamic relations between them. Eight 100 m2 plots were placed randomly in areas with structural and floristic differences but having in common the presence of live and/or dead individuals of the dominant tree species (Juniperus brevifolia). In each plot the number of seedlings, saplings, and adults as well as canopy height and width and maximum height of live Juniperus brevifolia and Ilex azorica adults were recorded. The floristic composition was determined in a 25 m2 plot, placed inside each 100 m2 plot. Juniperus-Ilex forests show a cyclic patch dynamic triggered by the senescence and death of same cohort individuals of J. brevifolia. In this forest cycle, five phases were identified, such as gap, building, mature, initial degenerative and final degenerative. The first two phases are dominated by J. brevifolia however in the degenerative phases I. azorica is the dominant tree species. The cycle may be divided into an upgrade series (comprising the first two phases) and a downgrade series (between the mature and final degenerative phases). In these forests there was no climax micro-succession detected since changes in the dominant tree species occur in the degenerative phases. This paper brings the first evidence for the existence of a forest cycle in Macaronesian forests.
(in Community Ecology)

Etiquetas: , , ,

Genética da vaca leiteira

Encontram-se na ilha Terceira os Professores Catedráticos Aura Antunes Colaço e Jorge A. Colaço, MVet, DCVet da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. A sua estada na Terceira teve como objectivo fazerem parte do júri de mestrado, Genética do Melhoramento Animal, vaca leiteira, da Eng.ª Luísa Pavão, que teve lugar no Departamento de Cências Agrárias de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores. Na companhia do Prof. José Matos e da Eng.ª Laura Matos, visitaram o Museu do Vinho dos Biscoitos da Casa Agrícola Brum Lda.
(in Bagos D'Uva)

Etiquetas: , ,

Investigação científica em Portugal vive situação "caricata"

O candidato do Bloco de Esquerda (BE) às eleições europeias Miguel Portas disse, em Angra do Heroísmo, no Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores, que Portugal vive uma situação "caricata" com os investigadores científicos que "têm trabalho precário".


Miguel Portas, que participou num debate na Universidade dos Açores sobre o "Papel da Ciência na Europa e nos Açores", sublinhou que "como trabalhadores precários dificilmente conseguirão desenvolver as suas potencialidades".
No caso dos Açores sustentou que "existem verdadeiros nichos estratégicos para a investigação científica mas estão muito longe de ser plenamente utilizados".
O candidato do BE preconiza uma investigação séria nos domínios "da natureza, dos assuntos marítimos e vulcânicos" a desenvolver no arquipélago.
"Há um vasto domínio de investigação, trabalhos de observação e laboratorial que são importantes não só para os Açores mas também para a Europa e para o mundo", acrescentou.
Miguel Portas afirmou que para entrar nesse caminho "é necessária uma decisão estratégica que considere a investigação científica tão ou mais importante que a monocultura da vaca".
Segundo disse, "as ilhas estão vocacionadas para trabalhos de ponta e valorização da mão-de-obra, da massa cinzenta que aqui se pode formar ou para cá vir dadas as condições naturais de que o arquipélago goza".
Porém, Miguel Portas alertou que as decisões estratégicas não devem ser "abstractas", considerando que devem fazer "uso dos recursos possíveis como alavanca para o desenvolvimento".
Advoga uma "partilha" dos fundos europeus para a investigação, para o que espera "seja urgentemente, a partir de Julho próximo, revisto o orçamento comunitário não só para aumentar as verbas para a ciência como para diminuir os efeitos da crise".
Miguel Portas espera que "a Europa arranje recursos financeiros junto daqueles que até agora não pagaram" a crise.
"É preciso cobrar às bolsas de valor, taxar a compra e venda de títulos e a actividade dos casinos e combater com eficácia a evasão fiscal", propõe o candidato do BE.
Na ocasião Miguel Portas criticou o facto de "um apagão informático, novo aliado do Governo, fez desaparecer 15 mil desempregados".
Na sua opinião, "as estatísticas portuguesas em relação ao desemprego são uma mentira".
O presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional, Francisco Madelino, admitiu hoje ter havido um erro no cruzamento de dados com a Segurança Social no processamento dos desempregados, mas garantiu que a falha foi rectificada, seguindo "todas as regras".
(in JAS Lusa - Diário de Notícias)

Etiquetas: , ,